Um Projeto: Fundação Estudar
Jovens sorridentes apertam as mãos em sala de trabalho

Como a Endeavor pode ajudar seu negócio a dar os primeiros passos?

Por Rafael Carvalho

Veja como participar do Promessas Endeavor, programa que apoia negócios embrionários e com grande potencial de crescimento

Cada vez mais é reconhecido e estimulado o papel das universidades como celeiros de empreendedores e inovadores no Brasil, e não são poucos os universitários e jovens arriscando com seus primeiros negócios.

A Endeavor está de olho nesse movimento, e já tem uma iniciativa voltada especialmente para os empreendimentos embrionários, que estão dando seus primeiros passos. É o seu caso? Aqui a gente explica como a organização pode te ajudar!

Leia também: O que é preciso para trabalhar na Endeavor?

Criada em 1997 pelos americanos Linda Rottenberg e Peter Kellner, a Endeavor surgiu exatamente da vontade de estimular o empreendedorismo em países emergentes. Dezoito anos depois, a rede de mentores e empreendores já se espalhou por vinte países na América Latina, Ásia, Europa e Ásia.

Chegou ao Brasil em 2000, pelas mãos do executivo Beto Sicupira, que também é um dos fundadores da Fundação Estudar. Em pouco tempo, o escritório instalado aqui tornou-se um dos mais proeminentes ao redor do mundo, contando atualmente com um portfolio de 121 empreendedores Endeavor, a frente de 73 negócios nos mais diversos setores.

Critérios rigorosos Durante os primeiros anos, o apoio da Endeavor aos empreendedores brasileiros ocorreu exclusivamente por meio do programa carro-chefe da organização, o Empreendedores Endeavor, focado em empresas com alto potencial de crescimento, mas que já estão bem estabelecidas e possuem faturamento anual entre 2 milhões e 50 milhões de reais.

Romero Rodrigues, hoje um dos mentores na rede Endeavor, não se encaixou nesses requisitos de tamanho quando participou do processo seletivo para receber apoio da organização. Na época, o Buscapé, empresa que fundou com outros quatro amigos, ainda não apresentava os números mínimos que o programa demandava. Alguns anos depois, já era grande demais para utilizar a ajuda da Endeavor.

Esse gap chamou a atenção da organização: por que eles deixaram uma empresa assim de fora? Como poderiam evitar que casos assim se repetissem?

Leia também: Confira a história de sete grandes empreendedores brasileiros

Alto potencial Foi como resposta a essa pergunta que, em 2012, Pablo Ribeiro, gerente de produtos da organização, surgiu com o projeto Promessas Endeavor. “Percebemos que fazia sentido ter um programa de startups estruturado, para já começar a trabalhar e ajudar empresas de alto potencial mesmo antes de elas atenderem aos critérios do empreendedor Endeavor”, ele explica, acrescentando que o programa não é focado somente em empresas de tecnologia, mas em negócios incipientes de maneira geral.

Já na sua terceira turma, o Promessas possui cases de destaque, como a Geekie, o Dr. Consulta e a Backpacker (esta última do empreendedor e universitário Caio Braz, ex-bolsista da Fundação Estudar).

As características buscadas são as mesmas do Empreendedor Endeavor – pessoas que sonham grande, botam para fazer e inovam – porém, nesse caso, não é necessário ter faturamento mínimo, e sim “um histórico de sucesso que mostre que o negócio está sendo relevante”, nas palavras do próprio Pablo.

O programa não aceita ideias no papel, apenas empresas que já estejam rodando, mesmo que (ainda) sem gerar lucros. “A gente vai olhar para o modelo de negócios, ver se tem diferencial competitivo, inovação, qual o potencial de mercado”, explica Pablo. “Nós queremos pegar o líder ou o melhor dentro do mercado. Se você tem um competidor que é melhor que você, provavelmente vamos querer ele com a gente”, completa.

O perfil do empreendedor também é importante, já que a Endeavor valoriza pessoas com brilho no olho e potencial para inspirar outros empreendedores.

Leia também: Universidade lança simulador virtual de negócios para capacitar empreendedores

Processo seletivo O Promessas Endeavor tem um processo seletivo próprio. As empresas que passam pela primeira triagem são então avaliadas por três mentores, que vão analisar operação, mercado e área financeira, e darão a resposta final sobre as empresas selecionadas.

O programa dura seis meses e traz como benefício para os empreendedores a alocação de um padrinho Endeavor, que realiza acompanhamento quinzenal, além da participação em diversas mentorias coletivas.

Como contraparte, a Endeavor não espera participação nas empresas. “A ideia é give back. O que nós esperamos é que depois de participar do programa, o empreendedor vá inspirar e apoiar outras pessoas para ajudar a formar um ciclo”, conclui Pablo.

As incrições para o Promessas Endeavor podem ser realizadas por aqui.

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo