Um Projeto: Fundação Estudar
carreira em y

Carreira em Y: quais são as trilhas e vantagens de cada uma delas?

Por Suria Barbosa

O encarreiramento em Y isola trilhas que exigem competências diversas. Quer saber onde você se encaixaria? Confira o que dois profissionais com trajetórias opostas falam sobre vantagens, desafios e habilidades de cada um dos lados.

Você já ouviu falar em carreira em Y? Ela consiste em uma estrutura de trajetória profissional com duas direções. Tem esse nome exatamente porque se baseia na forma da letra “Y”: uma base em comum e dois braços “separados”; um deles diz respeito à trilha de líder e, o outro, à trilha de especialista.

O conceito serve para orientar decisões profissionais e tanto pode ser utilizado para alguém que queira se direcionar, quanto para embasar o encarreiramento dentro das organizações.

Com a diversidade de possibilidades de atuação – e nível de especialização/de gestão de pessoas – a carreira em Y apresenta vantagens porque não só isola trilhas que exigem competências de natureza diversa, como eleva também profissionais que preferem se especializar a gerir pessoas.

A fim de entender a fundo as implicações de seguir trajetória em cada um dos ramos do Y, o Na Prática conversou com Jéssica Teixeira (Gerente de Gente e Gestão) e Thomaz Aragão (Especialista em Fusões e Aquisições). Ambos atuam na Arco Educação, primeira startup do setor a abrir capital na Nasdaq.

Faça o teste de vocação do Na Prática

Os dois relatam que seguir a trilha foi menos uma escolha do que um acontecimento influenciado por alguns fatores de sua vida profissional. No caso do especialista, conhecimento técnico adquirido, profundidade sobre a operação da Arco e a capacidade de aprendizado rápido foram determinantes. Para Jéssica, certa exposição a desafios de liderança na companhia ajudaram-na a se direcionar para tal trilha de gestão de pessoas.

Será que, ao contrário do que os dois profissionais passaram, decidir efetivamente é uma boa jogada? De acordo com o especialista e a líder, vale a pena experimentar. “A experiência nas duas trajetórias é válida, pois penso que são complementares”, destaca Thomaz. “É importante, principalmente no começo da carreira, estar disponível para as oportunidades
que surgem, por mais diversas que possam ser.”

Jéssica destaca, ainda, que há um passo anterior: autoconhecimento.

“Ser líder ou especialista traz responsabilidades diferentes e, dependendo do seu perfil, você pode se encaixar mais em um ou em outro. Conhecer-se é o primeiro passo para trilhar o caminho
certo”, explica.

A Gerente de Gente e Gestão acrescenta que outros fatores podem ajudar na tomada de decisão profissional, como uma liderança interessada no encarreiramento, bons mentores e buscar feedback.

Carreira em Y: particularidades de cada lado

Como líder

Benefício e desafio

Para Jéssica, o maior benefício específico da carreira de líder é ser responsável e impactar diretamente a vida das pessoas: “poder ajudar outros a crescerem e evoluírem como pessoas e como profissionais.”

De outro lado, o desafio também parte do alto nível de responsabilidade, principalmente em relação às pessoas e aos resultados. “Formar um time de alto impacto e mantê-lo constantemente engajado, além da necessidade de conciliar todas as agendas compromissos pessoais, com o time, com a companhia…”, acrescenta.

Perfil para crescer como líder

Características valorizadas na trilha de líder:

  • Gostar de pessoas
  • Gostar de ver as pessoas evoluírem
  • Ter paciência para acompanhar, conduzir e colher os resultados desse processo
  • Ser generoso: “liderar tem profunda relação com o outro e não só consigo mesmo.”

Faça seu teste vocacional para entender carreiras que fazem sentido de acordo com seu perfil!

Como especialista

Benefício e desafio 

Thomaz destaca que, como especialista, uma das vantagens é ser, muitas vezes, o “único” responsável pelas entregas, gerando, então, resultado proporcional à sua dedicação.

Um dos principais desafios dessa trajetória da carreira em Y, segundo ele, é que pode se perder de vista pontos de atenção tradicionalmente mais “desconectados” da carreira de especialista. Por exemplo: deixar de focar no desenvolvimento dos pares, algo que “não é mais papel único e exclusivo do líder”.

Perfil para crescer como especialista

Características valorizadas na trilha de especialista:

  • Foco/produtividade na execução
  • Aprendizado na prática (testar, errar, aprender, acertar)
  • Capacidade analítica (em sua amplitude, não somente ligada a números)
  • Grande senso de dono

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo