Um Projeto: Fundação Estudar
crianças mexendo em tablets

Programa apoia novas startups de tecnologia em educação

Por Rafael Carvalho

Iniciativa Start-Ed Lab, da Fundação Lemann, ajuda empreendedores a lançarem produtos educacionais tecnológicos; inscrições vão até 13 de maio

Abrir sua própria empresa e entrar no mercado de inovações tecnológicas para educação pode não ser fácil. Mas, quem acredita que boas ferramentas ajudam a melhorar o aprendizado dos alunos deve conhecer o Start-Ed Lab.

Trata-se de um programa da Fundação Lemann que apoia empreendedores que estão começando a desenvolver produtos que unam o lado educativo e o tecnológico, e está com inscrições abertas até o dia 13 de maio por aqui.

O edital de 2016 irá selecionar de seis a oito equipes para melhorar suas soluções e dar todo apoio para que os produtos sejam lançados no mercado e a receita da empresa seja dobrada, além de receber aporte financeiro.

Leia também: Mudança de carreira, do mercado financeiro ao empreendedorismo em educação

Em princípio, qualquer startup de tecnologia que tenha impacto na educação básica brasileira pode ser inscrita no programa. Entretanto, é necessário que alguns requisitos sejam cumpridos.

Entre eles, estão: o empreendedor que inscrever a empresa deve estar 100% dedicado a ela; o produto inscrito deve ser o principal da startup e estar em estágio inicial de desenvolvimento, ou seja, com menos de 18 meses (um ano e meio) no mercado ou ainda não ter sido lançado, além de considerar as condições das escolas do país. Em outras palavras, isso significa na aposta em soluções que não demandem grandes investimentos e infraestrutura tecnológica.

Inscrição e Seleção Para a inscrição, o empreendedor deverá responder, entre outros tópicos, qual foi a principal motivação para a criação da startup, qual é experiência como empreendedor e no setor educacional e quais são os diferencias da equipe, que pode ser composta por até três pessoas.

O formulário preenchido será analisado pela equipe da Fundação Lemann, que irá selecionar os candidatos com base nos critérios: competências, experiência e motivação da equipe de empreendedores; qual é a proposta de valor do produto; a escalabilidade do modelo de negócios e potencial de impacto.

O próximo passo do processo é uma entrevista com a equipe da Fundação, que irá analisar o nível de conhecimento e engajamento no setor educacional. Por fim, os empreendedores irão responder perguntas da banca avaliadora, que irá divulgar os resultados dos selecionados no dia 24 de junho, no site da Fundação Lemann.

Leia também: “Primeiro Livro” e o desafio de empreender um projeto em educação

Encontros presenciais As equipes selecionadas deverão participar de cinco encontros presenciais, em São Paulo, nos dias 14 e 15 de julho, 15 e 16 de agosto, 22 e 23 de setembro, 20 e 21 de outubro e 10 e 11 de novembro. Nessas datas, os empreendedores irão receber workshops sobre empreendedorismo e desenvolvimento de novos negócios inovadores com foco em educação e orientação para validação do produto.

Essas reuniões irão contar com a presença de profissionais que são referencia em educação e empreendedorismo. Além disso, o espaço dos encontros irá favorecer a interação, troca de ideias e o recebimento de feedback dos especialistas convidados.

Todos os participantes irão receber apoio financeiro para custear a ida a todos os encontros, de presença obrigatória.

O edital do Start-Ed Lab 2016 pode ser consultado aqui. As inscrições vão até o dia 13 de maio e podem ser realizadas nesse link.

 

Dica do Na Prática:

Conhecer de perto as etapas de um processo seletivo e entender como acontece cada uma delas aumenta as suas chances de contratação. Se você ainda não se sente 100% confiante, não se preocupe, a Fundação Estudar reuniu as maiores referências no assunto em um curso online para te ajudar neste desafio. Inscreva-se agora com 20% de desconto com o cupom PROCSEL-20 clicando aqui.

 

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo