Gestão Empresarial

André Esteves: 'O jovem tem que querer ser parte de alguma história'

CEO do BTG Pactual, maior banco de investimentos da América Latina, fala sobre carreira no mercado financeiro

Cecília Araújo, do , em 22.07.2014

“O primeiro passo para as coisas acontecerem é você acreditar que tem chance de elas acontecerem”, explica André Esteves, CEO do maior banco de investimentos da América Latina, o BTG Pactual, em bate-papo com o Na Prática.

Graduado em Ciências da Computação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, André Esteves começou a carreira no Banco Pactual, em 1989, quando tinha 21 anos e ainda estava na faculdade. Quatro anos depois, tornou-se sócio da instituição e, em 1995, assumiu a chefia da área de renda fixa. Durante o breve período em que o banco foi controlado pelo UBS A.G., foi o CEO do UBS Pactual.

No fim de 2008, deixou o UBS para fundar a BTG – a sigla vem de “Back to the game”, ou “de volta ao jogo”. Com 37 anos, André Esteves era o mais jovem bilionário brasileiro.

Por meio da BTG, recomprou o Pactual, do UBS, por 2,5 bilhões de dólares, após ele ter sido vendido por 3,1 bilhões de dólares para os suíços. Com isso, seu pequeno banco de investimentos, com ativos de 3,3 bilhões de dólares, comprava um gigante com 57 bilhões reais de recursos sob gestão de ativos totais de 14 bilhões de reais.

O banco está entre as 15 marcas mais valiosas do Brasil, segundo a revista Istoé Dinheiro. Também já foi eleito o banco de investimentos mais inovador da América Latina pela revista britânica The Banker e o melhor banco de investimentos do Brasil e do Chile pela revista World Finance. Ele é conhecido por seguir os modelos de meritocracia e partnership (oferta de sociedade aos funcionários com melhores resultados) de bancos como o lendário Garantia, fundado por Jorge Paulo Lemann.

“No fundo tem uma pergunta clássica que a gente faz quando vai contratar alguém. Perguntamos se o candidato quer ser dono ou quer ser empregado. Se ele quiser ser funcionário ele vai trabalhar em outro lugar e se ele quiser ser dono aí ele pode vir trabalhar aqui”, comenta em relação aos talentos que quer atrair para o banco. “A gente quer gente com cabeça de dono, e que no fundo um dia vão ser mesmo os donos.”

Para ele, é essencial querer construir o legado do banco: “O jovem tem que querer realizar alguma coisa, querer ser parte de uma história, e ajudar a empurrar essa história pra frente”.

Atualmente, André Esteves faz parte do Conselho da bolsa de valores BM&FBovespa, além de ser membro do Conselho Latino Americano da Harvard Business School e do Conselho da Fundação Estudar. Em 2012, foi o único brasileiro na lista das 50 personalidades mais influentes do mercado financeiro eleitas pela agência americana Bloomberg.

Assista à entrevista completa com André Esteves clicando nas perguntas abaixo. Dividimos o bate-papo em blocos para facilitar a visualização.