Um Projeto: Fundação Estudar
mulher escrevendo na escola

Governo de SP busca startups para resolver desafios na educação

Por Rafael Carvalho

Empresas com até cinco anos devem apresentar propostas para engajamento de pais, controle de frequência e rotas de transporte, dentre outras

Para encontrar soluções tecnológicas que ajudem gestores, professores, pais e alunos, o Governo do Estado de São Paulo anuncia para o dia 17 de novembro a primeira edição do Pitch Gov SP. O evento que será realizado em parceria com a PRODESP (Companhia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo) e a ABStartups (Associação Brasileira de Startups) aceita a inscrição de candidatos até 18 de outubro de startups que já possuam um produto ou protótipo.

“O Pitch surgiu para o governo se aproximar do setor privado em um nível mais baixo, ocupado pelas start-ups. Fomos atrás das secretarias e pedimos para que listassem os desafios que eles vivenciam no dia a dia [Veja lista abaixo]”, diz Isabel Opice, assessora da Subsecretaria de Parcerias e Inovação. Assim como nas áreas de saúde e facilidades ao cidadão, em educação estão autorizadas a concorrer empresas cujo CNPJ (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica) tenha no máximo cinco anos. “Empresas com menos de cinco anos conseguem gerar soluções de forma muito mais rápida e se adaptar aos problemas do estado”, diz Isabel.

Baixe o Especial Na Prática sobre carreira em Educação

Seleção Dentre os critérios de seleção está a análise do histórico das empresas, que também leva em conta a experiência de seus integrantes no desenvolvimento de soluções semelhantes as do Pitch Gov SP. Outro item que merece atenção é o modelo de negócio, que vai dizer se a proposta da start-up consegue resolver um problema real e está em linha com as necessidades do mercado.

As 15 escolhidas para participar do Pitch Gov SP terão de fazer uma rápida apresentação (pitch, em inglês), de 10 minutos, no Palácio Bandeirantes, sede do governo paulista. As mais bem avaliadas vão poder firmar um convênio com o governo em que não haverá repasse de recursos financeiros, mas será dada a oportunidade para teste e aprimoramento das soluções, utilizando a estrutura de órgãos como a Secretaria de Educação e o Centro Paula Souza. Segundo as regras, se houver interesse da secretaria e dos órgãos responsáveis na continuidade das parcerias, a contratação será estudada caso a caso. Uma vez garantido o acesso à rede estadual, pouco a pouco a ferramenta digital avançará pelas 28 mil escolas da rede.

Veja abaixo os desafios propostos pelo governo:

Secretaria da Educação

1. Como manter um cadastro atualizado de pais e alunos (incluindo georreferenciamento), considerando as mudanças constantes de número de telefone e residência, para facilitar o processo de matrículas e acompanhamento dos estudantes?
2. Como realizar avaliações diagnósticas padronizadas em formato digital para mais de 4 milhões de alunos?
3. Como melhorar o fluxo de informação, troca de aprendizados e sugestão de novas ideias entre os diferentes atores da Secretaria de Educação de forma mais rápida, direta e participativa?
4. Como aumentar o engajamento dos pais na vida escolar do filho?
5. Como registrar, monitorar e acompanhar dados dos alunos que possibilitem avaliação nutricional e melhorias na alimentação escolar?
6. Como monitorar e acompanhar a aceitabilidade dos alunos pela alimentação escolar de forma dinâmica?
7. Como auxiliar diretores e dirigentes de ensino na gestão de prédios escolares, facilitando o acompanhamento das intervenções recebidas e problemas apresentados?
8. Como otimizar o serviço de transporte de alunos da rede estadual de ensino?
9. Como alinhar as ações de formação de professores centralizadas (promovidas pela Escola de Formação e Aperfeiçoamento de Professores – EFAP) e descentralizadas (promovidas pelas Diretorias de Ensino e Escolas)?
10. Como identificar as demandas dos professores para cursos de formação e acompanhar o impacto dos cursos em sua prática profissional?
11. Como disponibilizar acesso digital a livros, revistas, produções estudantis e outras publicações aos alunos e familiares?
12. Como veicular formações rápidas e pontuais (máximo de 1 minuto) diretamente ao servidor interessado

Centro Paula Souza

13. Como fazer um registro automático da presença ou ausência dos alunos nas aulas?
14. Como produzir informações relevantes a partir de dados de presença e participação para melhorar o desempenho dos alunos?
15. Como criar um sistema de interação social entre professores, alunos, pais e gestores?
16. Como otimizar o consumo de energia elétrica, água e outros itens de custeio e infraestrutura nas unidades escolares?
17. Como otimizar a produção de alimentos nas 34 escolas agrícolas do Centro Paula Souza auxiliando na redução de custeio de merenda?

 

Este artigo foi originalmente publicado em Porvir

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo