Um Projeto: Fundação Estudar

Bate-papo com José Olympio Pereira

Por Cecília Araújo

De entusiasta das artes a melhor banqueiro das últimas décadas

Atual presidente do banco de investimentos Credit Suisse no Brasil, José Olympio Pereira está entre os mais notáveis banqueiros do país. Ao longo de sua carreira, esteve à frente de diversas operações bem sucedidas que lhe renderam tal prestígio. No seu currículo, constam transações épicas, como a compra da mineradora Inco pela Vale do Rio Doce, o IPO (oferta pública inicial) da Bovespa e a compra da GVT pela Telefônica, além das fusões da cervejaria belga Interbrew com a brasileira Ambev, da Bovespa com a BM&F, e da Americanas.com e o e-commerce Submarino.

Formado em Engenharia Civil pela Pontifícia Universidade Católica (PUC-Rio), o carioca começou sua carreira no famoso Banco Garantia, primeiro no Rio e depois em São Paulo. Permaneceu no banco de 1985 até 1998, e nesse período também fez MBA em Harvard. No Garantia, trabalhou ao lado do trio Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Beto Sucupira e de economistas de peso, como Armínio Fraga e André Lara Resende. Em um ambiente extremamente meritocrático, ascendeu rapidamente e aos 24 anos já havia assumido o departamento de underwriting, responsável pelas ofertas públicas de títulos em geral, incluindo ações de empresas.

Quando o Garantia foi comprado pelo Credit Suisse, José Olympio partiu para a filial brasileira da casa de investimentos Donaldson, Lufkin & Jenrette, conhecida como DLJ, e depois foi para o Citigroup. Em 2004, começou uma sólida carreira no próprio Credit Suisse, onde ocupa hoje a presidência executiva. Atualmente, o banco suíço é líder de investment banking no Brasil, e conhecido por uma postura global de tomada de riscos e bonificação bem acima da média para seus funcionários. Em 2007, José Olympio foi eleito o melhor banqueiro dos últimos 20 anos pela revista LatinFinance.

Além dessa reputação construída no mercado financeiro, também é frequentador assíduo dos círculos de arte internacionais. Descendente de uma família bastante ligada ao fomento da cultura brasileira, possui uma coleção que soma mais de 1.200 peças. Esse precioso acervo lhe abriu portas para integrar o conselho de renomadas instituições de nacionais e internacionais: a Pinacoteca do Estado de São Paulo, The Museum of Modern Art (o famoso MoMa), em Nova York, o Tate Modern, em Londres, além do Centre Georges Pompidou e da Fundação Cartier para Arte Contemporânea, ambos em Paris. Recentemente, juntou-se a outros entusiastas e mecenas para formar o time encarregado de reformular o Museu de Arte de São Paulo, o MASP, maior instituição do tipo no hemisfério sul.

No bate-papo com o Na Prática, que será gravado no dia 29 de janeiro de 2015, ele contará detalhes da sua trajetória e falará especialmente sobre as possibilidades de carreira na área de investimentos. A gravação estará disponível aqui a partir do dia 3 de fevereiro. Gostaria de fazer alguma pergunta a ele? Envie para nós!

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo