Um Projeto: Fundação Estudar

Bate-papo com Fernando Reinach

Por Tiago Mittraud

O homem de negócios que contribuiu para mudar a maneira de fazer ciência no Brasil

Quem olha apenas para os últimos anos da carreira de Fernando Reinach pode imaginar que ele desde o início construiu sua trajetória no mundo dos negócios. Hoje, ele é sócio e administrador do Fundo Pitanga – que investe em empresas inovadoras com alto potencial de crescimento. Antes disso, foi por nove anos diretor executivo da Votorantim Novos Negócios – braço de capital de risco e private equity do grupo Votorantim.

Mas, por um longo período, Fernando se dedicou de forma integral à academia. Formou-se em Biologia, tornou-se o mais jovem professor titular do Departamento de Bioquímica da Universidade de São Paulo (USP) e fez um doutorado na Cornell University Medical College, em Nova York, nos Estados Unidos. Foi também pesquisador de Biotecnologia da Fundação Rockefeller e do Howard Hughes Medical Institute.

Ele se destacou ao coordenar o primeiro Projeto Genoma brasileiro – trabalho conjunto de diversos países para desvendar o código genético de diferentes organismos – nesse caso, da bactéria Xylella fastidiosa, causa importante de doenças em laranjais e outros cítricos de importância econômica. Mais do que achar a cura para a doença, seu trabalho contribuiu para mudar a maneira de fazer ciência no Brasil, ganhando projeção internacional.

Além disso, Fernando esteve envolvido na criação de duas empresas de biotecnologia, CanaVialis e Alellyx – que se dedicam essencialmente ao desenvolvimento de pesquisas para o melhoramento da cana-de-açúcar. Ele é ainda membro do Conselho de Administração da Amyris Biotechnologies e escreve uma coluna semanal no jornal O Estado de São Paulo.

Neste bate-papo, Fernando conta mais detalhes da sua trajetória e tira dúvidas dos jovens que estão no início da sua carreira profissional.

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo