Um Projeto: Fundação Estudar

Bate-papo com Edgard Gouveia

Por Cecília Araújo

O arquiteto que mobiliza pessoas de todas as idades em jogos e ações coletivas que resultam em 'microrrevoluções comunitárias'

Ao jogar The Sims, podemos construir virtualmente casas, personagens e cidades. O Play The Call, idealizado pelo arquiteto e empreendedor social brasileiro Edgard Gouveia Júnior, vai bem mais longe. O jogo pretende reconstruir o mundo – com uma diferença: ele não se restringe ao ambiente virtual. Lançado em 2012, trata-se de uma gincana mundial online que tem tarefas concretas no mundo real e pretende envolver dois bilhões de pessoas para restaurar o equilíbrio na biosfera promovendo “microrrevoluções comunitárias”.

O Play The Call é – até agora – o projeto mais ousado desenvolvido por Edgard na sua trajetória de empreendedorismo social. Natural de Santos, ele é cofundador do Instituto Elos, ONG que tem como objetivo ajudar comunidades a se desenvolverem a partir do espírito empreendedor e trabalho coletivo. Ao longo de quase 20 anos, concebeu e realizou diversos projetos sociais – entre eles uma mobilização social que ajudou a revitalizar, com a participação de mais de 3 mil jovens de todo o Brasil, comunidades afetadas pela enchente do rio Itajaí, em Santa Catarina, no final de 2009.

Jogador de vôlei profissional na juventude, Edgard graduou-se em Arquitetura e Urbanismo na Universidade de Santos. Recém-saído da faculdade, em 1996, liderou um grande projeto de restauração do Museu de Pesca de Santos, envolvendo arquitetos, estudantes e a comunidade local – o que lhe deu uma amostra da proporção dos resultados que podem ser atingidos através da mobilização cidadã. Ao longo da década seguinte, Edgard trabalhou em dezenas de outros projetos comunitários, sempre aplicando a ideia de que “mudar o mundo deve ser divertido”, com uma metodologia baseada em projetos curtos, em formato de “missões”. A força desta estratégia levou Edgard a desenvolver, com o Instituto Elos, o Jogo Oasis – uma tecnologia social que sistematiza este modelo de ativismo e possibilita sua multiplicação.

Pós-graduado em Jogos Cooperativos, Edgard tornou-se consultor e professor na área, lecionando Jogos Cooperativos em instituições como o Youth Initiative Program e MSLS, na Suécia, e Knowmads, na Holanda. Palestrante internacional na área de liderança jovem e empreendedorismo social, já se apresentou em instituições como Harvard e MIT. Co-criou o Guerreiros Sem Asas, programa de formação vivencial de lideranças e empreendedorismo social que forma, por edição, 60 jovens transformadores e impacta por volta de 500 pessoas, incluindo moradores das comunidades, setor público, estudantes e voluntários.

Pesquisador do Instituto TIBÁ (Tecnologia Intuitiva e Bio Arquitetura), também é membro das redes internacionais Berkana e Ashoka. Entusiasta da arquitetura voltada para o empoderamento social, Edgard procura demonstrar, através do trabalho com as comunidades, que elas são capazes de e possuem todas as ferramentas para transformar seus ambientes – uma lição que vai muito além da simples restauração de espaços públicos.

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo